sexta-feira, 27 de março de 2015

Série letras e poesias antigas: Solidão (1987)

Eu não sei mais o que escrever
Eu me sinto assim
Eu não sei mais o que fazer
Pra tirar isto de mim

Preencher este vazio que sobrou
Se é que sobrou alguma coisa
Até agora, nada, mas nada brotou
Nada apareceu, nada nasceu

Eu ainda não descobri
O prazer de sentir
Ainda não descobri
O prazer do amor

Acho que até me habituei
A viver com a dor
A dor que não dói
A dor que perfura

A dor do vazio
O vazio que eu sinto
Dentro de mim
Lá no fundo

Até quando?
Terei que suportar
Até quando?
Irei me amargurar

Quando encontrarei alguém
Com força para esmagar
Esta dor, este vazio
Este nada, esta solidão.



Nenhum comentário: