sexta-feira, 27 de março de 2015

Série letras e poesias antigas: Andarilho (1989)

Eu vago sozinho pelo mundo
Eu não sei, eu não entendo
Me usam, me jogam, fazem oque querem
E eu sempre sozinho,
Ninguém tenta se aproximar
Saber o que se passa
E, eu ando sempre
De cabeça abaixada
Sozinho,
Sempre

De repente
Alguns ainda tentam
Mas, é só por um instante
E, eu olho para traz e vejo
Que eles estão longe
Muito longe, me chamando
Mas, estão parados,
Apenas parados
Por que eles não vem até mim?
Porque tudo é assim?
Por que eu sou assim?


Tudo está tão longe,
Somente eu e o mundo
Eu e o meu caminho
Sempre nós
Apenas nós
Sozinhos.


Nenhum comentário: